Home / Geral / Prefeitura fará nova licitação para concluir PAC da Nova Brasília

Prefeitura fará nova licitação para concluir PAC da Nova Brasília

Na noite desta quinta-feira (29), os representantes da Prefeitura se reuniram com os moradores do bairro Nova Brasília, para tratar sobre o futuro da obra de macrodrenagem. Na reunião estiveram presentes o prefeito Jonas Paegle, o vice Ari Vequi e a diretora do Departamento Geral de Infraestrutura, Andréa Patrícia Volkmann, que apresentou a situação técnica da obra.
De acordo com Andréa, o contrato firmado em 2011 com a empresa Catedral venceu no dia 26 de junho, dado o tempo de execução da obra. No entanto, a Prefeitura não possui mais justificativas técnicas para a renovação. Os critérios levados em consideração para a não continuidade da parceria é o não cumprimento dos prazos, bem como a falta de padrões técnicos e condições adequadas de trabalho.
Segundo a diretora do DGI está sendo estudado os meios legais para abertura de um novo processo licitatório. ” Nós vamos verificar dentro da legalidade, qual a melhor maneira de darmos andamento nesta obra, se será fazendo nova licitação ou chamando o terceiro colocado”.
Dada a importância da obra para a localidade, a Prefeitura convidou os moradores do bairro Nova Brasília para acompanhar as dificuldades encontradas pelo Poder Público. “Mais do que ninguém nós sabemos o quanto essa obra é essencial para aquele local. Muitos transtornos teriam sido evitados se a macrodrenagem estivesse concluída. Por isso estamos buscando as formas legais para finalizarmos os serviços”, destacou Andréa.
Histórico da obra
A obra de macrodrenagem Bacia Nova Brasília é um convênio firmado com o Ministério das Cidades, pelo programa Drenagem Urbana, com início em 1º de abril de 2011. O último boletim de medição localizado pela equipe técnica do DGI, data de 12 de abril de 2015.
Após a enxurrada de janeiro de 2017, que atingiu o bairro Nova Brasília, provando a importância da obra para o local, a Prefeitura realizou reuniões com a Caixa Econômica Federal (agente fiscalizador do Governo Federal) e com a empresa Habitark (responsável pela elaboração do projeto de macrodrenagem), sobre a viabilidade de alteração do projeto.
O objetivo do Poder Público era atender com rapidez a população, que foi diretamente afetada com as chuvas. Sendo assim, em 26 de janeiro, a Prefeitura apresentou para a empresa uma proposta de retomada dos trabalhos. Junto a isso, o DGI iniciou alguns estudos de caráter financeiro e jurídico e após o aval da Procuradoria-Geral do Município e da Caixa Econômica Federal, notificou oficialmente a Catedral para retorno imediado em 20 de fevereiro.
Na data, a empresa se comprometeu em executar a obra em 120 dias. Após o reinício dos trabalhos, a Prefeitura continuou acompanhando e notificando a Catedral, sendo que a mesma se defendeu primeiramente com relação ao tipo de solo encontrado. De acordo com a empresa, as características do solo diminuíam a produtividade e requeriam alteração nos custos de material e horas de mão de obra.
Em seguida, o Sindicato autuou as condições de trabalho da Catedral, que a partir daquele momento não retomou mais os serviços, em função do não cumprimento das exigências feitas pelo órgão fiscalizador. No último dia 23, a empresa havia se comprometido em executar a injeção do concreto para que fosse realizada a primeira medição da obra. No entanto, a Catedral novamente não cumpriu com o acordado, inviabilizando assim, a renovação do contrato.

Veja Também

Avançam as obras de complementação e conclusão da Praça Azambuja

A complementação e conclusão das obras da Praça Azambuja, situada na rua e bairro de ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.