Home / Geral / Prefeitura de Guabiruba assume abastecimento de água da cidade

Prefeitura de Guabiruba assume abastecimento de água da cidade

Depois do encerramento do contrato de fornecimento de água com a CASAN e diante de muitas reclamações, a Prefeitura de Guabiruba obteve, por via judicial, o controle do serviço. Momentaneamente, uma empresa irá tocar a continuidade do serviço, para que a população não seja prejudicada.

Veja abaixo a nota enviada pela Prefeitura de Guabiruba à imprensa:

A Prefeitura de Guabiruba informa que a partir desta quinta-feira, 5, assumiu o serviço de abastecimento de água e tratamento de esgoto do município, até então prestado pela Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (CASAN). O atual convênio, firmado em 2008 pelo prazo de dez anos, venceu no dia 31 de março de 2018, embora há 43 a CASAN atuava na cidade, sendo a primeira concessão fornecida em 7 de agosto de 1975, durante o mandato do prefeito Ivo Fischer.

É de conhecimento da população os frequentes problemas no abastecimento de água, principalmente no que se refere a sua coloração, tratamento e capacidade de reserva. Tais reclamações chegavam à Prefeitura e já foram amplamente divulgadas pela imprensa local e regional.

Desde 2013, a atual administração procurava a CASAN na tentativa de encontrar uma forma para resolver as dificuldades. Em setembro de 2014, o então presidente da companhia, Valter Gallina, esteve na Prefeitura e garantiu investimentos de aproximadamente R$ 285 mil, sendo R$ 200 mil para o projeto de Sistema de Produção, que indicaria a necessidade de investimentos e cerca de R$ 85 mil para reforma da Casa de Química (http://www.guabiruba.sc.gov.br/noticias/index/ver/codMapaItem/4487/codNoticia/263419).

Em março de 2015, em Florianópolis, o município cobrou novamente da CASAN as melhorias durante uma reunião com a empresa. No dia 17 de abril de 2015, Gallina esteve em Guabiruba anunciando investimentos de R$ 3,5 milhões, que seriam aplicados até o final de 2016 (http://www.guabiruba.sc.gov.br/noticias/index/ver/codNoticia/283511/codMapaItem/4487).

Diante da falta de empenho na execução das promessas e dos projetos de tratamento, armazenamento e distribuição da água, bem como pelo não cumprimento das ações referentes ao tratamento do saneamento básico, o município de Guabiruba optou pela não renovação do convênio, decisão tornada pública no final de 2017.

O município notificou a empresa, bem como solicitou o livre acesso ao sistema de abastecimento de água e suas dependências e a relação de bens, produtos em estoque, “backup” contendo as informações do cadastro comercial das unidades consumidoras e do cadastro técnico das redes de captação, adução de água bruta e tratada, tratamento, reserva e distribuição para poder dar a devida continuidade aos serviços. Porém, nenhum dos documentos e relatórios solicitados foram entregues. 

No dia 1° de abril de 2018, às 00h01, a equipe técnica do município, juntamente com a Agência Intermunicipal de Regulação, Controle e Fiscalização (AGIR) e a Atlantis, nova empresa contratada para prestação serviços, compareceu ao local para assumir os serviços, o que não foi aceito pela CASAN.

Diante disso, a Prefeitura iniciou um processo judicial, tendo parecer favorável e neste dia 5 assumiu a prestação do serviço. Nesse momento de transição, a Prefeitura pede a compreensão de todos, pois seu único objetivo é melhorar o abastecimento de água e tratamento de esgoto, garantindo esse direito ao cidadão.

 

Veja Também

Assistência Social faz abordagem a moradores de rua

A Secretaria de Assistência Social e Habitação de Brusque realizou na manhã desta segunda-feira (18) ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.