Home / Política / Jones Bosio e outras três pessoas tem bens bloqueados pela justiça

Jones Bosio e outras três pessoas tem bens bloqueados pela justiça

Em decisão do juiz Heriberto Max Dittrich Schmitt, da Vara da Fazenda Pública da Comarca de Brusque, datada do dia 23 de julho e divulgada nesta segunda-feira (28), a Justiça determinou o bloqueio dos bens, até o valor de R$ 50 mil, do ex-secretário de Desenvolvimento Regional, Jones Bosio, do ex-gerente de esporte, cultura e lazer da SDR, Carlos Queluz, do ex-prefeito da cidade de Canelinha, Antonio da Silva, e de Rosenildo Amorim, ex-diretor executivo do Instituto de Moda Catarinense.

A denúncia feita pelo MP é de suspeita de fraude em licitação e desvio de recursos públicos no ano de 2014. A irregularidade paira sobre o Festival Intermunicipal de Bandas em Canelinha, que nunca aconteceu. Cerca de R$ 30 mil foram repassados ao prefeito de Canelinha por meio de Bósio, então secretário regional, através do Instituto.

Jones Bosio confirmou que se manifestará a respeito do assunto assim que for citado e conversar com a sua defesa.

Veja Também

Luciano Hang vai à posse de Bolsonaro no “Brasil Jet”

Faltam apenas três dias para o Brasil iniciar um novo período cheio de expectativas. Para ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.