Home / Economia / Feirão do Imposto abre com palestra sobre corrupção

Feirão do Imposto abre com palestra sobre corrupção

Na noite desta terça-feira, 23 de maio, o Núcleo de Jovens Empreendedores (ACIBr Jovem), da Associação Empresarial de Brusque (ACIBr), fez a primeira ação do Feirão do Imposto deste ano: uma palestra sobre corrupção, ministrada pelo diretor executivo do Observatório Social de Brusque (OSBr), Evandro Gevaerd. Com quase duas horas de duração, o evento foi realizado na sede da ACIBr.

“Diante de tantas informações que nos foram apresentadas, chegamos à conclusão de que o problema do Brasil nem é a alta carga tributária e, sim, a questão da corrupção e os péssimos exemplos que temos dos nossos governantes na gestão pública. É claro que a gente luta pela diminuição da carga tributária e esse é um dos objetivos do Feirão do Imposto, mas, paralelo à isso, precisamos lutar pelo combate à corrupção, que é um câncer neste país e atinge a administração pública em todas as esferas”, avalia o coordenador da ACIBr Jovem, Eduardo Jonas Imhof.

Além da palestra, o Feirão do Imposto continua em um dos stands da Multifair, que será aberta nesta quinta-feira, 25 de maio, às 18h, no Pavilhão da Fenarreco. A ACIBr Jovem e o Observatório Social de Brusque dividirão o mesmo espaço para conscientizar as pessoas sobre o volume de tributos pagos no Brasil e de como este valor é mal aplicado na gestão pública.

 

Alta carga tributária x corrupção

Para o diretor executivo do Observatório Social de Brusque (OSBr), Evandro Gevaerd, a palestra sobre corrupção foi importante e os jovens empreendedores se mostraram muito interessados e participativos. “São pessoas que, voluntariamente, já estão envolvidas com uma entidade e querem o melhor para Brusque. Então eles se identificaram com o projeto do Observatório Social e, inclusive, se colocaram à disposição para ajudar nas ações realizadas. Acima de tudo a gente entende que, se não houver participação das pessoas no processo político do país e no nosso município, nós não vamos conseguir mudar esta realidade vergonhosa que estamos passando”, enfatiza Gevaerd.

Segundo ele, é possível ver com clareza os partidos políticos legislando em causa própria, sem levar em conta os interesses da população. “Não estão olhando para a moralidade pública e para o que realmente importa, que é o bem-estar das pessoas. O nosso papel, enquanto Observatório Social, é fazer com que esta indignação se transforme em atitude, que as pessoas possam se unir, somar e conscientizar outras pessoas. Não dá mais para ser “ativista de sofá”, que apenas critica o que vê no noticiário. É preciso transformar a indignação em atitude e exigir dos vereadores e do prefeito uma atuação correta, transparente e competente. Caso contrário, estamos fadados a piorar ainda mais os índices sociais do Brasil”, detalha Gevaerd.

De acordo com o diretor executivo do OSBr, muitas pessoas ainda não se dão conta de quanto pagam de imposto. A estimativa é que 40% do salário seja apenas para esta finalidade, paga pelo consumidor final. “A partir do momento em que o trabalhador souber que é ele quem banca o serviço público, ele vai se interessar em saber mais sobre quem é o gestor e qual capacitação tem para assumir o cargo. Dinheiro não falta. Mas a falta de planejamento contribui para o gestor corrupto desviar o dinheiro”, ressalta.

Hoje, estima-se que no Brasil, R$ 100 bilhões sejam desviados pela corrupção todos os anos e mais R$ 200 bilhões estão comprometidos em obras que não acabam nunca. Somente com este valor seria possível triplicar o orçamento anual da educação, por exemplo. Enquanto a carga tributária do Brasil é uma das mais altas do mundo, transitando nos mesmos índices de países do norte da Europa, o Brasil mantém um dos piores índices sociais da América do Sul. “Isso só vai mudar com a participação efetiva da população no processo de decisões políticas importantes para a comunidade”, observa Gevaerd.

Veja Também

Governo do Estado e Fiesc elaboram nova política industrial de Santa Catarina

Nesta sexta-feira, 15, foi realizada a primeira reunião entre Governo do Estado e a Federação ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.