Home / Geral / Contra fechamento da Agência do Ministério do Trabalho, servidores pedem ajuda à Prefeitura

Contra fechamento da Agência do Ministério do Trabalho, servidores pedem ajuda à Prefeitura

Servidores da agência do Ministério do Trabalho em Brusque estiveram, durante a tarde desta segunda-feira (4), reunidos com o prefeito Jonas Oscar Paegle e com o vice José Ari Vequi.

Em pauta, a busca por uma solução acerca do iminente fechamento do espaço. Liderados pela chefe da agência, Leniria da Cunha, a comitiva pediu o apoio do governo municipal, com vistas a evitar a desativação da sala, situada na rua Felipe Schmidt, bairro São Luiz.

Durante o encontro, o vice-prefeito Ari Vequi telefonou para vários contatos políticos, pedindo maior atenção nos critérios que estão sendo utilizados para a desativação. “Se isso realmente acontecer, todas as pessoas terão que ser atendidas em Itajaí. É uma grande preocupação. Então ligamos para vários contatos em Brasília, inclusive o superintendente estadual do Trabalho, para que intercedam”, ressalta Vequi.

Os funcionários públicos federais também informaram ao Governo de Brusque que o critério para o fechamento das agências é o número de servidores efetivos. Neste caso, em tese, a agência local estaria apta a continuar os trabalhos.

“O superintendente disse que se tivéssemos mais de dois efetivos, era pra deixar aberto. E nós temos. Temos quatro efetivos, dos quais três estão fora da idade da aposentadoria. Sabemos que o Governo Federal quer diminuir custos. Queremos apenas a manutenção do serviço, nem que seja junto a algum outro órgão. Não podemos deixar nossa população ir pra Itajaí para confeccionar uma Carteira de Trabalho. Brusque é uma cidade industrial e vamos esperar por uma decisão que seja benéfica”, finaliza.

Veja Também

Metalúrgicos de Brusque rejeitam contra proposta de reajuste dos empresários

O auditório do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Brusque (Sintimmmeb) recebeu neste domingo, 19 de ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.